Receba Novidades

Agronegócio 4.0: novas tecnologias aliadas à produção de alimentos

O Agronegócio 4.0 e a economia se mostram impactados por momentos de crise. Em tempos neoliberais vários países tem sido assolados direta/indiretamente devido a pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19) de 2020.

Esta, tem ocasionado impactos sociais, econômicos e políticos.

 

Ações em tempos de crise

Para enfrentamento dessa doença, tem-se feito uso de:

  • políticas de isolamento social para evitar aglomerações e a transmissão do vírus;
  • orientações acerca da contaminação e disseminação do agente etiológico, tais como: lavar com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienização com álcool em gel 70% ;
  • barreira física através da utilização de máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de residência;
  • higienização dos alimentos após as compras.

 

Agronegócio 4.0: a nova agricultura.

Com isso, nesse contexto, enfatiza-se a busca por – saúde, qualidade de vida e segurança-, associada a produtos alimentares.

Isso, se fortalecendo como uma das alternativas de enfrentamento as consequências no agronegócio decorrentes desta epidemia 0 Agronegócio 4.0.

 

O novo agronegócio e suas tecnologias

O agronegócio 4.0 consiste no conjunto de tecnologias digitais de ponta integradas e conectadas por meio de softwares para o agronegócio.

Vemos sistemas e equipamentos capazes de otimizar a produção agrícola, em todas as suas etapas.

Dentro dessa nova visão e com o uso das novas tecnologias digitais.

 

As empresas tecnológicas do novo agronegócio: pioneirismo 4.0.

Ademais, o agronegócio 4.0 auxilia o fortalecimento das “AgTech/ AgroTechs”, que são empresas estruturadas, sobretudo, por start ups.

Sendo estas as principais responsáveis por levar a tecnologia para o novo agronegócio.

 

Aspectos do agronegócio 4.0

Os quatro aspectos que norteiam o agronegócio 4.0 são:

  • gestão baseada em dados;
  • produção a partir de novas ferramentas e técnicas;
  • sustentabilidade;
  • profissionalização.

A revolução na produção de alimentos.

Assim sendo, é consequência da procura por novas tecnologias que impactam na nossa vida, nas formas de consumo, e no mercado.

E emergem neste cenário de conectividade, sendo chamada atualmente de Quarta Revolução Industrial.

 

O real e o virtual: encontro perfeito para o agronegócio 4.0

Esta que é a utilização total da tecnologia, de forma a deixar os processos autônomos e inteligentes.

É a incorporação do meio digital, conectando todos os sistemas de uma cadeia produtiva de modo a mesclar o virtual e o real no campo.

 

Novos tempos: Bioeconomia.

Nesse prisma, com crescente busca por economia sustentável e justa, a bioeconomia tem atingido – força, visibilidade, e a sustentabilidade-, e adentrou como uma das prioridades das sociedades contemporâneas.

De acordo com o estudo “Estilos de Vida 2019” da Nielsen, essa transformação já chegou aos hábitos de consumo dos brasileiros.

 

A entrada da segunda década do milênio.

A população do Brasil está:

  • mais prática (55% dos entrevistados vai direto à loja para efetuar a compra);
  • mais conectada (64% tem um smartphone);
  • mais saudável (57% reduziu o consumo de gordura e 56% diminuiu a ingestão de sal);
  • mais negociadora (64% escolhe as marcas pelo baixo preço);
  • mais sustentável (42% está mudando seus hábitos de consumo para reduzir o impacto no meio ambiente).

 

Tecnologia e saúde: novas tendências

Assim o foco tem sido a saúde, a qualidade de vida e o bem-estar, com frequentes avanços em tecnologias da informação e da comunicação (TIC).

Nesse sentido, a Internet das Coisas (em inglês, Internet of Things – IoT) tem corroborado para a expansão do agronegócio 4.0.

As “coisas” (máquinas, cidades, elementos de infraestrutura, veículos e residências) se conectam à internet para informar a sua situação, receber instruções e até mesmo praticar ações baseadas nas informações recebidas.

 

A conexão do novo mundo: como agronegócio 4.0 é impactado?

A possibilidade de ligar o mundo físico à Internet e a outras redes de dados tem profundas implicações para a sociedade e a economia.

A Internet das Coisas torna possível monitorar e gerenciar operações a centenas de quilômetros de distância, rastrear bens que cruzam o oceano ou detectar a ocorrência de pragas ou doenças na plantação.

Assim, uma das aplicações mais eficazes da “IoT” na atividade agrícola consiste na instalação, nos campos de cultivo, de sensores que transmitem informação para os dispositivos móveis.

 

Ciência e tecnologia na produção de alimentos

No tocante a dispositivos tecnológicos incorporados a pequenas e médias propriedades do agronegócio 4.0.

Destacam-se os – sensores – que recolhem dados como a umidade e temperatura do solo, a radiação solar e a precipitação.

Desta forma, o agricultor recebe informações detalhadas sobre o cultivo que pode ir desde previsões meteorológicas, passando por evapotranspiração das culturas, horas de folha molhada e horas de frio.

Com os dados recolhidos pelos sensores, os agricultores podem tomar decisões mais sustentadas e resolver rapidamente problemas que possam estar a surgir com a plantação.

 

Agrosmart

Como exemplo, a “Agrosmart”, monitora dados locais da lavoura em tempo real de condições meteorológicas, solo e chuva em cada talhão.

Auxiliando o produtor na tomada de decisões e, consequentemente, reduzindo custos e aumentando a sua produtividade.

Drones

Outro dispositivo tecnológico é o – drone-, que são aeronaves equipadas com câmeras especiais.

Após as imagens serem processadas gera imagens que permitem acompanhar o desenvolvimento da lavoura através da identificação de áreas com estresse hídrico, pragas ou doenças.

Horus

Uma das empresas que desenvolvem essa tecnologia é a “Horus” que possui um drone com sistema autônomo de voo.

Ela engloba um sistema completo, formado por uma plataforma online e um processamento de imagens que permite ao produtor otimizar suas atividades.

Gerando uma maior assertividade, rapidez e qualidade.

Agronegócio 4.0 e o mercado financeiro

O agronegócio também direciona-se a modernizar-se, através dos meios de compartilhamento de informações e transições financeiras, tais como a rede “blockchain”.

Essa tecnologia gestada em 2008, tem a capacidade de rastreabilidade – registrar origem e destino de um produto, passando por todos os elos da cadeia de suprimentos, desde a fase de produção até o consumidor final.

Dessa maneira, resulta em melhoramentos de produtividade e agilidade em processos operacionais.

Possibilitando maior clareza e garantia sobre a segurança da informação e, principalmente, a segurança dos alimentos.

Agronegócio 4.0 e a Agricultura vertical

Ainda nessa conjuntura outro conceito que se tem estabelecido é a agricultura vertical.

Esta que engloba, basicamente, um conjunto espacial destinado para a produção em camadas verticais.

Essa produção ocorre em locais que não fornecem a configuração para a agricultura tradicional, sobremaneira nos grandes centros urbanos.

 

A américa latina e seus destaques no agronegócio 4.0

Exemplo disso, a Pink Farms, a maior fazenda urbana vertical da América Latina.

Se trata de um sistema vertical de produção que consiste em plantações alojadas em uma torre de oito andares com uma luz de LED.

A luz de cor rosa que assume o papel da iluminação solar, característica do processo produtivo que nomeou a empresa.

Por isso, ela tem sido vista como a tecnologia do futura para alimentar as próximas gerações.

 

Tecnologia e qualidade de vida: o agronegócio 4.0 agora é tech

Infere-se, portanto, que os avanços tecnológicos contribuem para a melhora na qualidade de vida, visto que, frequentemente tem-se buscado meios mais rápidos e eficientes.

Sendo assim, a utilização do agronegócio 4.0 será um fator imprescindível para o futuro, e que irá permitir aos agricultores suprir as necessidades, optando sempre para o lado mais sustentável e equilibrado.

Isso irá auxiliar no aumento da produtividade, e na redução dos desperdícios, resultando em um maior controle dos custos.

Favorecendo as perspectivas de que essa tecnologia pode corroborar positivamente no aumento da produção e suprimento da demanda gerada pelo aumento populacional.

 

 

Este artigo sobre Agronegócio 4.0 foi escrito por  Kariny da Silva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *